Mega projeto eólico de R$ 6 bilhões vai criar 3 mil empregos na Bahia

O Conjunto Eólico Serra do Assuruá, empreendimento com potencial para gerar até três mil empregos diretos e indiretos no pico das obras, está em implantação no município baiano de Gentio do Ouro pela Engie Brasil Energia.

Com investimento previsto de R$ 6 bilhões, após portaria ambiental emitida pelo Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Bahia (Inema), a intervenção para a construção do conjunto se encontra com avanço de 50% da supressão vegetal e topografia e 80% da fase de sondagem.

Visando priorizar a contratação da mão de obra local, a Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esportes (Setre), através do Serviço de Intermediação para o Trabalho (SineBahia), firmou termo de parceria com a Engie, para a realização de campanhas para o cadastramento dos trabalhadores, incluindo o fomento às Comunidades Quilombolas e de Fundo e Fecho de Pasto. O objetivo é incentivar a empregabilidade de profissionais das comunidades tradicionais e não tradicionais, da área de influência.

A intermediação de mão de obra local é feita pelo Posto do Sine em Gentio do Ouro, que, ao identificar as vagas oferecidas pelas empresas contratadas, realiza a prospecção, análise e encaminhamento profissional para seleção.

Qualificação profissional

Para promover a qualificação profissional e social em Gentio do Ouro, também em parceria com a Setre, a Engie apoiou a realização do Programa Qualifica Bahia, ofertando 60 vagas gratuitas para os cursos de pedreiro polivalente, armador de estrutura em concreto armado e carpinteiro. Com aulas teóricas e práticas no canteiro de obras, metade das vagas foram destinadas às mulheres. Com certificação de 120 horas, o público-alvo do curso foi formado por pessoas de baixa renda e escolaridade, vulneráveis econômica e socialmente, e sujeitas a discriminação.

Em relação aos impactos do Programa Qualifica Bahia em Gentio do Ouro, o gerente de Implantação do Conjunto, Paulo Muller, comentou que a Setre é um parceiro estratégico, que presta apoio fundamental nessas iniciativas. “Além dessa, outras ações estão sendo preparadas, incluindo cursos específicos para a formação de profissionais que possam também atuar na operação e manutenção dos aerogeradores, atividade que será executada ao longo de pelo menos 20 anos, reforçando o compromisso da Engie com a região”, finalizou Muller.

Potencial

Para Paulo Muller, o empreendimento irá contribuir para a expansão da oferta de energia renovável na matriz brasileira, impulsionando a transição energética, um dos pilares da atuação da Engie. Segundo Muller, o conjunto vai gerar empregos na região, incrementar a arrecadação no município de Gentio do Ouro e do Estado da Bahia, por meio do recolhimento de tributos gerados pela eólica. De acordo com o gerente, a implantação de projetos sociais a partir de investimento social privado já está autorizada pela companhia.

O empreendimento será desenvolvido em fase única, com a capacidade instalada de 846 MW, em 24 parques eólicos com 188 aerogeradores. Inclui também 28 km de linhas de transmissão que irão conectar o parque ao Sistema Interligado Nacional, permitindo o direcionamento da energia gerada no local para todo o país. A previsão é iniciar a operação comercial no segundo semestre de 2024. Com máquinas de potência de 4,5 MW e aerogeradores que chegam a 165 metros de altura, a energia gerada será direcionada para o Mercado Livre de Energia, ambiente de contratação no qual as empresas podem adquirir a energia diretamente das produtoras, além de escolher a fonte de geração.

Fonte: https://aloalobahia.com/notas/investimento-de-r6-bilhoes-vai-gerar-energia-eolica-e-3-mil-empregos-em-cidade-na-bahia